Euribor regressa às subidas – remunerações nos depósitos podem subir

A pressão para a descida das taxas de juro provocada pelas sucessivas quedas nas taxas euribor das várias maturidades que se vinha registando há largos meses está a ser interrompida. Em consequência, as taxas euribor estão a afastar-se nos valores mínimos e a criar condições para que haja alguma revisão em alta das taxas de juro a que são remunerados os depósitos a prazo.

Recorde-se que o valor da euribor faz parte da fórmula usada pelo Banco de Portugal a partir da qual se apura o valor máximo aceite como taxa de juro de um depósito a prazo sem que haja penalizações de capital. Recomendamos a este propósito o artigo “Qual será a taxa máxima que pode atingir um depósito a prazo?“.

Para já, e de acordo com a última atualização da nossa base de dados, a tendência de revisão dos depósitos tem sido, ainda, em baixa. Veremos o que nos reserva os próximos meses, aguardando igualmente por novos declarações e medidas de política monetária a toara pelo BCE, as quais poderão condicionar a evolução desta variável. Deixamos a em baixo um gráfico co ma evolução desde janeiro de 2012 das principais taxas da Eubiro (a 3, 6 e 12 meses).

Fonte: Banco de Portugal; Gráfico “Melhores Depósitos a Prazo”).

Euribor a 3, 6 e 12 meses - de 2012 a janeiro de 2013
Euribor a 3, 6 e 12 meses – de 2012 a janeiro de 2013

Um comentário sobre “Euribor regressa às subidas – remunerações nos depósitos podem subir

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.